:: Gestão Financeira ::

 



O que é a Gestão Financeira ?

 

A Gestão Financeira é o processo de obtenção de recursos financeiros que possibilitem à empresa atingir e manter o seu nível de actividade desejada. Essa obtenção de recursos financeiros deve ser ponderada com base em indicadores relativos à empresa mas que vão muito para além dela, abrangendo toda a sua envolvente desde o mercado em que actua até à conjuntura económica em que ela tem de actuar.

 

 

Quais os objectivos da Gestão Financeira ?

 

Os objectivos fundamentais da actividade empresarial e da Gestão Financeira em particular são: Estabilidade e Rendibilidade.

 

Em termos de análise da área financeira de uma empresa, a base de trabalho é necessariamente constituída pelos dados fornecidos pelo Departamento Contabilístico, quer como consequência das exigências legais (fiscais e/ou outras) quer decorrente das necessidades de informação dos gestores como ponto de partida e base da tomada das principais decisões estratégicas.

As demonstrações financeiras procuram fornecer informação sobre o património e riqueza das empresas sobre diferentes perspectivas. O Balanço permite-nos obter uma fotografia do património das empresas sob duas ópticas: coisas (temos o activo – constituído pelo imobilizado, existências, débitos de clientes e dinheiro – e o passivo – empréstimos bancários, dívidas a fornecedores) e em valor (situação líquida – capital inicial, aumentos sequentes e resultados gerados).

Para obtermos uma evolução no tempo da riqueza da empresa podemos também fazê-lo sob as mesmas ópticas: se o objectivo for medir a evolução ao nível das coisas utilizamos a demonstração de fluxos de caixa ou de tesouraria, ao passo que para medir a evolução em termos de valor temos a demonstração de resultados.

 

 

Qual o papel do Gestor Financeiro ?

 

A curto prazo, a função do gestor financeiro traduz-se na gestão de tesouraria da empresa. Esta, consiste no processo de regulação dos pagamentos e recebimentos da empresa de forma que esta possa fazer face, sem falhas, às responsabilidades que assumiu, e obter os meios financeiros adicionais nos casos em que há déficit de tesouraria, ao menor custo possível, ou de aplicar os excedentes criados de forma a obter a melhor remuneração possível.

 

A médio e longo prazo, o gestor financeiro é responsável por definir e implementar a estratégia de financiamento da empresa com vista a precaver a sua estabilidade e ao mesmo tempo maximizar os resultados líquidos da empresa (relação Retorno / Risco).

 

 

Quais as opções de financiamento que as empresas têm ao seu dispor ?


As opções de financiamento que as empresas têm ao seu dispor são:

Capital próprio - conjunto de recursos financeiros que os sócios ou accionistas (proprietários da empresa) colocam à disposição da empresa para que esta os utilize livremente a fim de financiar as suas actividades.

Os capitais próprios da empresa são apenas exigíveis pelos sócios em circunstâncias especiais e de acordo com a imposição legal de que apenas poderão ser entregues quando isso não afectar a estabilidade da empresa. A remuneração é função dos resultados e não separável destes.

 

Capital alheio - recursos financeiros postos à disposição da empresa (emprestados) por terceiros, sócios ou credores em geral, e que a empresa tem a obrigação de vir a devolver, com ou sem prazo certo.

 

Quais os desafios da Gestão Financeira ?

 

    • Determinar as necessidades de recursos financeiros na empresa:

                - Planeamento das necessidades financeiras;

                - Inventariação dos recursos disponíveis;

                - Cálculo do montante de recursos a obter fora da empresa.

 

    • Obter recursos da forma mais vantajosa possível tendo em vista:

                - Custo dos capitais e prazos de pagamento;

                - Condições fiscais e contratuais.

 

    • Aplicar racionalmente os recursos obtidos por forma a:

            - Conseguir-se uma estrutura financeira equilibrada;

            - Alcançar níveis aceitáveis de rentabilidade.

 

    • Controlar as aplicações dos lucros obtidos.

 

   • Analisar, recorrendo a instrumentos adequados, a situação económica e financeira da empresa